quarta-feira, 29 de junho de 2011

CORDEL E RELIGIÃO

Ilustração: ARIEVALDO VIANA

SÃO PEDRO NA LITERATURA DE CORDEL

Hoje, 29 de junho, os católicos festejam São Pedro. O chaveiro do céu e primeiro papa da Igreja Católica é um dos personagens prediletos dos poetas populares. Talvez porque seja um dos apóstolos mais citados no Novo Testamento, humano, temperamental, cheio de medos e fraquezas... O santo aparece também em dezenas de anedotas recolhidas por Câmara Cascudo, Silvio Romero, Gustavo Barroso e outros estudiosos, narrando episódios de quando Jesus andava no mundo.
Na literatura de cordel é bem extensa a relação de folhetos onde São Pedro, ao lado do Divino Mestre, aparece fazendo trapalhadas. Eis alguns títulos: O grande debate de Lampião com São Pedro, de José Pacheco; Jesus São Pedro e o ferreiro da maldição, de Francisco Sales Arêda; Jesus, São Pedro e o ladrão, de Manoel D’Almeida Filho; São Pedro e o coração do carneiro, de Paulo Roxo Barja, O homem do arroz e o poder de Jesus, de Mestre Azulão; As peripécias de São Pedro, de Eugênio Dantas e muitos outros.
Comecemos, pois, pelo “Grande debate de Lampião com São Pedro”, onde José Pacheco esbanja talento e bom humor:


O GRANDE DEBATE DE LAMPIÃO COM SÃO PEDRO
Autor: José Pacheco da Rocha

(Trechos)

Chegou no céu, Lampião
A porta estava fechada
Ele subiu a calçada
Ali bateu com a mão
Ninguém lhe deu atenção
Ele tornou a bater
Ouviu São Pedro dizer
Demore-se lá. Quem é?
Estou tomando café
Depois vou receber

São Pedro depois da janta
Gritou por Santa Zulmira:
- Traz um cigarro caipira
Acendeu no de São Panta
Apertou o nó da manta
Vestiu a casaca e veio
Abriu a porta do meio
Falando até agastado:
- Triste do homem empregado
Que só lhe chega aperreio

Abriu na frente o portão
Ficou na trave escorado
Branco da cor de um finado
Quando avistou Lampião
Mas com a trave na mão
Não temeu de lhe falar
E disse: -Aqui não se dar
Aposento a gente mal
Senão que entrar no pau
Acho bom se retirar

Lampião lhe respondeu :
Não venha com seu insulto
Você é um santo bruto
Que ofensa lhe fiz eu?
E mesmo o céu não é seu
Você também é mandado
Portanto esteja avisado
Se não deixar eu entrar
Nós vamos experimentar
Quem é que tem bom guardado

- Você não entra, atrevido!
São Pedro lhe disse assim :
- Ingresso a quem é ruim
Nesta porta é proibido
Não sabes que sois bandido
Roubador da vida humana
Alma ferina e tirana
Coração cruel perverso!
Como queres um ingresso
Nesta mansão soberana

- É certo que fui bandido
Perverso, estrompa, voraz
Porém, quem foi não é mais
É mesmo que não ter sido
Mesmo eu sou garantido
Por um provérbio que tenho
Escrito sobre um desenho
Por pessoas elevadas
O qual diz: - Águas passadas
Não dão volta a meu engenho


— Não quero articulação
Você aqui nada tem
— É como você também
Lhe respondeu Lampião
É porque do seu patrão
Você transmite um mandado
Eu tenho visto empregado
Sair do trabalho expulso
Sem direção, sem recurso
Por qualquer trabalho errado

(...)

JESUS, SÃO PEDRO E O FERREIRO DA MALDIÇÃO
Franscico Sales Arêda

Quando Jesus e São Pedro
pelo mundo viajaram
em casa de um ferreiro
uma tarde eles chegaram
e pra descansarem um pouco
nessa casa se arrancharam.

O ferreiro muito alegre
deu uma boa hospedagem
para Jesus e São Pedro
descansarem da viagem
e tratou muito bem deles
com toda camaradagem.

E Jesus aproveitou
enquanto estava hospedado
e falou com o ferreiro
lhe mostrando muito agrado
para ferrar o burrinho
que ele andava montado.

O ferreiro interessado
fez o serviço ligeiro
porém Jesus disse a ele:
— Aqui não tenho dinheiro
mas te sirvo em três pedidos
pode dizer o primeiro.

O ferreiro olhou para Cristo
e começou a sorrir
depois disse: muito bem
tenho três coisas a pedir
porque sei que o senhor
pode isto me garantir.

— Vamos lá disse Jesus
diga que farei urgente
mas antes dele falar
São Pedro tomou a frente
e disse: Amigo ferreiro
me ouça primeiramente...

É verdade que não sei
qual sua finalidade
porém lhe dou um conselho
com toda sinceridade
peça-lhe o reino do céu
pra sua felicidade.

O ferreiro disse: Eu não
que céu não enche barriga
e olhando pra Jesus
lhe disse: Mestre me diga?
se pode dar-me uma coisa
que me serve e não periga.

Jesus disse: é qualquer coisa
que quiser pode falar
disse o ferreiro: Pois bem
quero que quem se sentar
no banco da minha tenda
só saia quando eu mandar.

— Prometo, disse Jesus
a outra coisa qual é?
— Pede-lhe o reino do céu
São Pedro gritou com fé
disse o ferreiro: Ora esta?
não me interrompa seu Zé.

(...)

VER TEXTO INTEGRAL DO POEMA AQUI: http://www.jangadabrasil.com.br/revista/junho67/cn67006b.asp



JESUS CRISTO, SÃO PEDRO E O LADRÃO
Manoel D’Almeida Filho

Jesus Cristo andou no mundo
Ensinando aos malfeitores
Com exemplos e milagres
Convertendo os traidores
No fim ainda deu a vida
Em favor dos pecadores

Os seus exemplos nos chegam
Através da sua glória
Onde muitos malfeitores
Inda alcançaram a vitória
Como esse que eu conto
Nessa pequena história

Jesus fez uma viagem
Com São Pedro certo dia
Por necessidade entraram
Numa grande travessia
Para salvarem um ladrão
Que só para o mal vivia

Mas São Pedro ignorava
O que ia acontecer
Porque Jesus não lhe disse
Para ele não temer
No meio da travessia
Começou escurecer.

(...)

(BATISTA, Sebastião Nunes. Antologia da literatura de cordel)



QUER MONTAR A SUA BIBLIOTECA DE CORDEL? DESEJA LEVAR UMA PALESTRA OU OFICINA DO PROJETO ACORDA CORDEL NA SALA DE AULA PARA A SUA ESCOLA?

Entre em contato conosco pelo e-mail  acordacordel@ig.com.br  e saiba mais detalhes.

3 comentários:

  1. Ari,
    se possível indique a obra de Gustavo Barroso em que aparecem estes contos de São Pedro. Interessa-me muito. Acrescento à lista de estudiosos os nomes de João da Silva Campos e Lindolfo Gomes. E, o maior nome do assunto (contos religiosos): Oswaldo Elias Xidieh, que dedicou um livro inteiro ao assunto: Narrativas Pias Populares.
    A presença de São Pedro na literatura de cordel deve-se mais ao reaproveitamento dos contos folclóricos em que este santo é companheiro de primeira hora de Jesus, quase sempre caracterizado como glutão, teimoso e azarado.
    Em outros países, ele aparece com "atributos" semelhantes: nos contos de Grimm (Alemanha), Afanasiev (Rússia), Pitré (Itália) e Ion Creanga (Romênia).
    No cordel, segundo as minhas pesquisas, o autor que mais versou histórias religiosas é Manoel D'Almeida Filho. Mas o santo ainda aparece com destaque em A Chegada de Lampião no Céu e, em dois momentos, no João Soldado, de Antônio Teodoro.
    Nos livros Contos Folclóricos Brasileiros e Contos e Fábulas do Brasil, recolhi e anotei dezenas de contos, alguns deles raríssimos na área lusófona, em que São Pedro figura como contraponto cômico de Jesus.

    Nos contos budistas, Ananda, discípulo de Buda desempenhava um papel semelhante.

    ResponderExcluir
  2. Olá Marco,

    Vou checar no acervo e lhe darei um retorno sobre Gustavo Barroso. Provavelmente foi na seção de obras raras da Biblioteca Menezes Pimentel, em algum livro do grande escritor cearense, que vi essa referência.

    Contar anedotas de quando São Pedro andava pelo mundo era uma das especialidades do meu avô Manoel Lima... Havia uma muito interessante, da "barrela". Barrela, segundo ele, é um caldo ralo, com farinha, nata e pimenta. Um casal de velhos que resolve jantar escondido para não dar comida a Jesus e seu companheiro. São Pedro pressente a trama e estraga tudo. Entorna o caldo dos velhinhos. Depois eles resolvem botar dois ovos para cozinhar debaixo da cinza do fogão. São Pedro, com seu cajado, começa a falar de uma herança que seu pai havia deixado:
    - Minha mãe queria por aqui (e tacava o pau), meu irmão queria por ali (e pá!) e eu queria por aqui! (bufo! Paulada nos ovos dos velhinhos).

    ResponderExcluir
  3. Se você tivesse me contado antes, ela entraria no Contos e Fábulas. Veja o livro de Oswaldo Elias Xidieh. Ele não só recolheu o maior número de histórias, como na variante de A Macaca do Ferreiro, ao ver a mulher rejuvenescida e bonitona, São Pedro cai em cima matando...

    ResponderExcluir